Geração G – você sabe o que é?

 

Bem vindos a Geração G, ou a Geração da Generosidade!  Esta geração não é dividida por idade, ou sexo… mas sim, por sentimentos de coleguismo.

Tudo começa com as novas tecnologias que invadem nossas vidas e celulares todos os dias>>> twitter, blogs, wikipedia, youtube, facebooks, flickr, orkut, linked in, … Agora, o momento é de compartilhar, criar, convergir, cooperar informações e experiência de vida. É a inteligência coletiva, a idéia da convivência em grupos digitais, mesmo que offlines. 

Hoje empatia, simpatia, proteção e doação estão ditando a vida das pessoas e suas relações com o mercado. Algumas estratégias podem ser incorporadas aos planos das empresas sem muito custo operacional, nem prejuízo de margem, mesmo porque as corporações também precisam de dinheiro e lucro para sobreviver. O trendwatching coloca algumas tendências bem-sucedidas:

1) Co-doação: usar o cliente para decidir onde e o que será doado ou atrelar doações à compra.

2) Eco-generosidade: mais do que simplesmente tentar limpar ou neutralizar sua pegada ecológica, muitas empresas podem ajudar a corrigir a de outras corporações, dando um passo a mais no processo.

3) Amor-livre: é a arte de dar seus produtos ou algum serviço gratuitamente a seus consumidores e aí valem brochuras, arquivos, relatórios, café ou qualquer coisa que sua imaginação possa pensar.

4) Mordomos de marca: a empresa ajuda o consumidor no ato de adquirir um produto, tornando a vida mais conveniente. Um dos exemplos mostrados no relatório foi o da Diesel que mais do que patrocinar um festival de música ao ar livre na Holanda, montou banheiros com chuveiros e vestiários para as pessoas poderem se arrumar.

5) Perkonomia: “perk” são os agrados que trazem um bem-estar à pessoa. A perkonomia reza justamente desenvolver uma nova leva de privilégios aos clientes como, por exemplo, a Lexus que, em uma turnê de Alicia Keys, criou um estacionamento VIP exclusivo para quem possuísse um carro deste modelo.

6) Tryvertising: é a experimentação levada a um extremo, onde produtos e serviços são integrados à vida diária de uma maneira relevante através de uma experiênca e não simplesmente de uma mensagem publicitária.

7) Atos Aleatórios de Bondade (AAB): nada mais do que surpreender alguns clientes com algum presente relevante atrelado a uma campanha que mostre mais boa vontade do que desejo de vender.

8) Rigidez, não mais: é o ato de derrubar certas regras frias em prol do bem-estar do cliente. Por que aceitar devolução de produtos somente com nota fiscal? Porque cobrar uma noite extra para um late check-in?

Matéria de Claudio R S Pucci, especial para o Terra.

E você? Já está pronto para liberar suas emoções e deixar o egocentrismo de lado?

;-*
BF

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: